quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Rolou por aí...

Moda para todos!


O projeto Olhares de uma São Paulo Inclsiva foi convidado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência para assistir o desfile dos finalistas da 8° edição do Concurso de Moda Inclusivo

    

O Concurso aconteceu no dia 15 de outubro no Parque da Água Branca é uma iniciativa da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e reúne estudantes e profissionais do setor para discutirem tendências e trocarem experiências sobre moda inclusiva e o mercado têxtil.


Projeto Moda Inclusiva

O projeto Moda Inclusiva estimulou a criatividade de vários grupos, como estudantes, professores, pessoas com deficiência, além de fomentar um mercado com foco na economia e estender a questão da deficiência para diversos grupos da sociedade propondo uma reflexão comportamental, bem como uma moda influenciada pela diversidade com design inspirado na ótica do Desenho Universal – O Desenho Universal é uma resposta ao movimento da sociedade, que busca eficiência e funcionalidade para todos os indivíduos ao longo dos ciclos da vida, um fator decisivo quando o objetivo é a construção de uma sociedade para todos que prioriza a eliminação de barreiras arquitetônicas, ambientais e estéticas.


As roupas têm o objetivo de proporcionar mais autonomia para adultos e crianças. As peças apresentam soluções práticas, como a substituição do fechamento das roupas com velcro, imã ou zíperes de fácil manipulação, confecção das etiquetas em braile, assim como bolsos em posições estratégicas e aberturas laterais e frontais.
O objetivo da competição é premiar as melhores propostas de vestimenta acessível para facilitar o dia a dia das pessoas com deficiência























Vencedores da 8° edição Moda Inclusiva 





Documentário MEU CORPO É REAL 


Michele Simões  estilista e cadeirante promove em seu mini-documentário “Meu Corpo é Real”, que aborda a relação das pessoas com deficiência com a imagem reproduzida pela moda.  Michele, que se tornou cadeirante após sofrer um acidente em 2006, conta a dificuldade de se ver representada em seu próprio meio.


O “Meu Corpo É Real”  foi feito com quatro deficientes: Letícia, que tem fragilidade óssea, Bárbara, que tem baixa visão congênita, Ravelly, que teve a perna direita amputada e Bruno, que teve lesão medular após levar um tiro de PM. Através dos bastidores de um ensaio conceitual (permitindo uma visão menos clichê sobre a deficiência), traz à tona as necessidades que as pessoas com deficiência encontram dentro do setor, fugindo dos estigmas de sempre. 









terça-feira, 18 de outubro de 2016

Parque da Água Branca ''


Dessa vez o nosso destino foi o Parque Dr. Fernando da costa – ou Parque da Água Branca, como é conhecido.

Criado em 2 de junho de 1929, o parque foi tombado em 1966 pelo Condephaat como patrimônio cultural, histórico, arquitetônico, turístico, tecnológico e paisagístico do estado de São Paulo.

O Parque da Água Branca nos dá a nítida sensação de visitar uma fazenda. Isso por que é possível, ao longo de suas trilhas, cruzar com galinhas, patos, pavões, cavalos e outros bichos que vivem soltos por lá.  Com diversas atividades como playground, aquário (2 reais para entrar), o Museu de Geologia e uma hípica chamada Altamira Vivência, que oferece cursos regulares de equitação e programas de férias para a criançada.  












A terceira idade também possui espaço no parque, como a Praça do Idoso, um local com aparelhos para a prática de ginástica, que é bastante frequentado. Diversas atividades também são desenvolvidas ao longo do ano, como ginástica antiestresse e yoga – a programação deve ser consultada diretamente no parque.









Desde 4 de julho de 2014, o Parque da Água Branca oferece curso de equitação adaptada a 40 pessoas com deficiência de várias idades.
A equipe é composta por assistentes sociais, fisioterapeutas, psicólogos, pedagogos, entre outros profissionais. As aulas, com atividades lúdicas e equestres, duram cerca de 40 minutos e são ministradas de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, moldadas especificamente para cada aluno.
O projeto é fruto de parceria entre Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Instituto Anjos de Deus.


Parque da Água Branca
Endereço: Avenida Francisco Matarazzo, 455 – Barra Funda
Telefone: (11) 3803-4200






terça-feira, 27 de setembro de 2016

Memorial da Inclusão



No dia 24 de setembro o Projeto Olhares de uma São Paulo Inclusiva foi explorar o Memorial da Inclusão.


Historia do Memorial da Inclusão
A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, o Memorial da Inclusão foi inaugurado no dia 3 de dezembro de 2009.


O memorial reúne cerca de 600 documentos, fotografias, manuscritos, áudios e vídeos com a história sócio, cultural e política do movimento de luta das pessoas com deficiência, iniciado nos anos de 1980. Os documentos foram reunidos por uma equipe de participantes do segmento, que disponibilizaram seus acervos pessoais e possibilitaram o encontro com outros acervos e pessoas dispostas a contribuir na composição dos arquivos sobre a pessoa com deficiência




Bate-papo
Os monitores de Memorial, propôs uma roda de conversa com participantes do projeto Olhares de uma São Paulo Inclusiva. No bate papo, falaram sobre dificuldades de mobilidade de não ter a liberdade de ir e vir que são prejudicadas pelas más condições de vias de acesso público e privada, preconceito e discriminação da sociedade e até da própria família, da historia do movimento político das pessoas com deficiência no Brasil e como começou a Paraolimpíadas.



Um dos grandes exemplos que temos no projeto e Lina nadadora de piscina e águas abertas a 19 anos e Carmen nadaras na modalidade peito, costa e livre a 3 anos.






O Memorial da Inclusão aborda cada uma das quatro deficiências - auditiva, visual, intelectual e física - e conta com atrações como a Sala Preparatória dos Sentidos: um local escuro com painéis de texturas diversas, alteração de temperatura e sensores sonoros e de odor. Outro destaque é a instalação de sound tubes, para pessoas com deficiência visual que não leem em braile.








Historia do movimento político das pessoas com deficiência no Brasil 

Origem das Paraolimpíadas 

Memorial da Inclusão
Endereço: 485, Av. Auro Soares de Moura Andrade, 261 - Barra Funda, São Paulo - State of São Paulo
Telefone: (11) 5212-3727